Além de abrir vantagem nas quartas de final da Copa do Brasil, o Palmeiras teve nesta quarta, contra o Internacional, o retorno de Willian “Bigode” aos gramados. Voltando após oito meses de tratamento de uma lesão no ligamento cruzado anterior do joelho, ele agradeceu o carinho da torcida, que vibrou bastante com a sua entrada em campo.

Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Com a palavra

“Bateu um friozinho na barriga, foi gostoso participar dos minutos finais, deu uma adrenalina. Ali a gente está focado, nem deu para agradecer, mas fica meu agradecimento aos torcedores que estavam gritando meu nome. Isso não tem preço, é reconhecimento“, falou o atacante, que completou:

“Preservar, não. Já fiquei à disposição e entrei um pouco. É uma decisão do treinador, se vou jogar ou não. Mas estou preparado, estou 110% (risos). Cada vez mais vamos pegando confiança. Eu me senti bem nos treinos, fiz dois jogos-treino e agora entrei um pouco. Estou feliz. Se tiver oportunidade vou ficar feliz e vou fazer meu melhor”.

Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Citado por Willian, o técnico Luiz Felipe Scolari abordou o assunto na entrevista coletiva pós-jogo e pediu cautela aos palmeirenses, relembrando da gravidade da contusão.

“O Willian ainda tem um mês para voltar. Cinco minutos, dez, trinta… Não se esqueça que a recuperação de uma lesão como ele teve é muito difícil entrar em uma equipe como o Palmeiras e jogar os 90 minutos. Aos poucos ele vai voltando, aí é mais uma opção que temos, tanto pelo lado do campo, como nove. É uma opção que vamos ganhar com o tempo”.

Trajetória no Verdão

O “Bigode” chegou ao Palmeiras em 2017, somando desde então 34 tentos em 122 jogos. Na temporada de estreia, ele balançou as redes em 17 oportunidades, sendo o artilheiro da equipe, enquanto que no ano seguinte repetiu o número de gols, mas foi superado pelo companheiro Borja.